Os últimos números do coronavírus no Brasil e no mundo (23/04)

O Brasil atingiu, nesta quinta-feira (23), novo recorde em número de mortes por coronavírus. Nas últimas 24 horas, 407 pessoas morreram de COVID-19, o maior número da doença registrado até agora no país. A maior quantidade de mortes em um único dia tinha sido, até então, de 217 pacientes. De acordo com os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde, o Brasil tem 49.492 casos confirmados.

A pasta diz não saber se o aumento dos óbitos representa de fato um crescimento na taxa de mortalidade brasileira ou se é reflexo do esforço em "fechar diagnósticos" e zerar a fila de testes. "Na prática, o que você tem que fazer é acompanhar dia a dia. Por isso, eu disse ontem que as previsões matemáticas têm que ser feitas com dados mais recentes, porque assim é mais preciso. Temos que esperar os próximos dias para saber o que está acontecendo", afirmou o ministro da Saúde Nelson Teich em entrevista coletiva.

O estado de São Paulo, o mais atingido pelo vírus, também teve novo recorde de óbitos. São 211 novas mortes de ontem para hoje (18,5% a mais), totalizando 1.345 óbitos. Há 16.740 casos de COVID-19 por aqui. O Governo Doria atribui o crescimento ao feriado prolongado, que teria deixado o sistema de vigilância epidemiológica mais lento.

O Rio de Janeiro contabiliza 6.172 casos e 530 mortes. Pernambuco soma 312 mortes por COVID-19 e 3.519 casos. Já o Ceará chegou a 266 óbitos e 4.598 casos.

Em todo o mundo, são 2.708.590 casos confirmados e 190.303 mortes por coronavírus, de acordo com a plataforma da Universidade John Hopkins. Ao menos 737.735 pacientes estão recuperados. Os Estados Unidos lideram em número de mortes e de casos, com 47.892 e 864.415, respectivamente. Cerca de 4,6 milhões de norte-americanos já realizaram o teste para COVID-19 e 123 mil estão hospitalizados.

Na Itália, a quantidade de mortos chegou a 25.549 hoje; o país tem 189.973 ocorrências. Já a Espanha tem 22.157 mortes e 213.024 casos. Na França, são 21.889 mortes e 159.460 casos. A China, onde o vírus surgiu, os números estagnaram: 83.878 casos e 4.636 mortes.